Visite nossa loja

Clique Aqui

Por que vacinar meninos contra o HPV?

0

O Brasil acaba de se tornar o primeiro país da América do Sul e o sétimo do mundo a incluir meninos em um programa nacional de imunização contra o HPV. A princípio, a campanha tem como alvo garotos de 12 e 13 anos, mas o plano é ampliar a faixa etária gradativamente até que, em 2020, a vacinação seja oferecida àqueles de 9 a 13 anos, como já ocorre com meninas desde 2014. O objetivo de vacinar essa faixa-etária é proteger crianças antes do início da vida sexual e, portanto, antes de serem expostas ao vírus.

Do ponto de vista de saúde pública, quanto mais precocemente se der a vacina, maior o impacto, tanto em meninas quanto em meninos. A vacina distribuída pelo SUS tanto para os meninos quanto para as meninas é quadrivalente, ou seja, protege contra quatro tipos de HPV: o 6, o 11, o 16 e o 18. Dois deles (o 6 e o 11), estão relacionados com o aparecimento de 90% das verrugas genitais. A vacina bivalente previne os tipos 16 e 18, que estão relacionados com 70% dos casos de câncer do útero.

Os adolescentes já contaminados pelo HPV também se beneficiam com a vacina. Eles provavelmente não se infectaram com todos os tipos de vírus; assim, a imunização os protege de agentes transmissores que eles ainda não tiveram contato. Além disso, a chance de novas ocorrências de lesões pelo HPV diminui com a vacina.

Só o preservativo não basta para proteger contra o HPV, pois ele pode ser transmitido mesmo com a camisinha, já que o menino e a menina podem ter a presença do vírus em outras áreas não cobertas pelo preservativo, como as mucosas.

O vírus pode ser passado através do beijo?

Segundo o CDC (na sigla em inglês, Centro de Controle e Prevenção de Doenças, órgão do governo americano para promoção da saúde pública), alguns estudos sugerem que a mucosa da boca, quando infectadas, podem ser vetores do vírus durante o sexo anal e também durante o beijo. Os resultados, no entanto, não são conclusivos. A dificuldade de proteção dessa forma de contágio, no entanto, reforça a importância da vacinação.

Nos hospitais particulares e clínicas os preços das vacinas têm variação importante, então vale a pena pesquisar. Veja alguns exemplos:

LOCAL VACINA BIVALENTE VACINA QUADRIVALENTE
Hospital Santa Joana 370,00 440,00
Lavoisier 269,00 401,00
Fleury 450,00 505,00
CIAT 300,00 420,00
Hospital Sírio-Libanês 396,00 462,00
Vacinar – Centro de Imunização 350,00 450,00
CEDIPI 400,00 540,00

 

Compartilhar.

Deixar um comentário